MC Diguinho lança clipe de versão 'light' de 'Só surubinha de leve'

MC Diguinho lança clipe de versão 'light' de 'Só surubinha de leve'


Compartilhe com seus contatos!
Publicado em sexta-feira 19/01/2018 às 06h19 Atualizado 06h28

Funkeiro vem sendo alvo de críticas em redes sociais pelos versos originais da música, como 'Taca bebida, depois taca pica e abandona na rua'.

MC Diguinho dança no clipe de 'Só surubinha de leve' (Foto: Reprodução/YouTube/GR6 EXPLODE)
MC Diguinho dança no clipe de 'Só surubinha de leve' (Foto: Reprodução/YouTube/GR6 EXPLODE) 
MC Diguinho lancou nesta quinta-feira (18) o clipe da versão "light" de "Só surubinha de leve". O funkeiro mudou a letra após a original ser acusada de fazer apologia ao estupro.
No lugar dos versos criticados ("Taca bebida, depois taca pica e abandona na rua"), a nova versão usa "Taca bebida, depois taca e fica, e não abandona na rua". Com informações do G1.
Através de sua conta no Instagram, Diguinho afirmou que "jamais iria denegrir a honra e moral das mulheres", e por isso lançaria uma versão "light".
Nos Stories do Instagram, o funkeiro afirmou que a música original tinha sido alvo da "mídia manipuladora".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 


"A mídia manipulou os pensamentos onde um negro canta funk é apologia ao crime/estupro e etcs, agora beijo gay em novela das 8 é lindo e perfeito aos olhos do mundo e vcs apoiaram essa ideia! Parabéns Brasil! Minha música foi retirada das plataformas digitais."
A versão original de "Só surubinha de leve" já tinha mais de 14 milhões de visualizações no YouTube quando foi tirada do site de vídeos. Ela também foi excluída das paradas do Spotify.

Protesto


O funk era acusado de fazer apologia do estupro e era alvo de críticas em redes sociais.
Na segunda-feira (15), a estudante universitária Yasmin Formiga escreveu no Facebook: "Se sua música é baixa ao ponto de me tornar um objeto despejado na rua ela não me serve, não me representa". O post teve mais de 30 mil curtidas e foi compartilhado mais de 120 mil vezes.

Em entrevista ao G1, ela questionou: "Como é que as pessoas vão ouvir uma coisa dessa e não fazer nada? Só vai ajudar com que cresça mais [a violência contra as mulheres]".



Compartilhe com seus contatos!

Últimas rádios adicionadas
Rádio Princesa FM 92,3 - Francisco Beltrão / PR       OUVIR
Rádio RTL FM A Rádio Rock 91,7 - Santos / SP       OUVIR
Rádio Harmonia Mercosul FM 100,7 - Foz do Iguaçu / PR       OUVIR
Rádio Difusora FM 92,5 - Acaraú / CE       OUVIR
Rádio Guanambi FM 96,3 - Guanambi / BA       OUVIR


Transmissão restabelecida recentemente
Rádio Nova Geração de Bauru - Bauru / SP       OUVIR
Rádio Voz Missionária Brás - Web rádio - Brasilândia de Minas / MG       OUVIR
Rádio Continental FM 98,3 - Porto Alegre / RS       OUVIR
Rádio Web Vida Gospel - Porteirinha / MG       OUVIR
Rádio Mirante News FM 104,1 - São Luís / MA       OUVIR

Rádios mais acessadas
Confira e ouça as rádios mais acessadas em todo período
As rádios estão divididas por estados.

Anterior Próxima